11.4.08

No chão... e J'y Suis Jamais Allé


No Chão...

No chão do meu quarto
As cartas espalhadas
As regras desencontradas
Os pontos quebrados.

No chão do meu quarto
As peças baralhadas
O cheiro a novo
Inunda-se de aroma embriagante
Estimulante e palpitante
Tudo no chão do meu quarto.

Lembranças a esquecer
Cartas a jogar
Apostas a elevar.
Rostos contraídos
Recordações em Reis de Ouros
Ases de Espadas.

Lutas suadas
Num continuo amanhecer de contas
Visitas entregues à luz do luar
Vencedores, vencidos
Bebendo pelo mesmo copo
Pelo mesmo cheiro
Despindo-se de bluffs
Contracenando num único movimento.

Limites pelo chão
Preconceitos rasgados
Cartas encobertas
Manchadas
Marcadas
Esquecidas
Num único jogo
No chão do meu quarto.

(in, caderno selado, PB, 01/08)

1 comentário:

Fa menor disse...

O chão do nosso quarto é cúmplice de cada coisa...

Beijinhos e bom fim de semana