13.8.07


Fecho os olhos e encontro-te numa neblina que me invade de incertezas e dúvidas.
Podias aproximar-te para contemplar o teu rosto maternal, distante, impenetrável.
Não me deixas olhar para ti, penetrar o teu ser, conquistar o teu amor.
O passado não me permite viajar e fazer tudo diferente, embora estejas em mim e eu em ti. Não vivo assim no recomeço de cada instante.
Renascer era o ideal do meu ser quebrado e culpável. Só no sonho viajo até ti e te vejo.
Quero que tudo seja diferente, mas não consigo, já não há esperança, apenas o fado de cada onda rebentando contra um coração pela metade.
Iniciei o caminho de olhos cerrados, és tu que me guias, obstinação da vontade de não olhar para trás, mas tenho, necessito entender o passado, viver o presente e desejar um futuro refrescante.

(in caderno selado, PB, 07)

4 comentários:

Paula disse...

Gostei muito mesmo, Paulinha. Esse caderno selado deve ter coisas bastante interessantes. Beijocas

LadyBird disse...

Obrigada kida.
Como estás? Sabes que és especial.
Besitos

Paula disse...

Estou boa, amiga, de verdade.
Também és especial e visito-te sempre, apesar de em silêncio... Tou espiando hihihi
Um abraço grande

nice disse...

Até me arrepiei... ;)